Arquivos Mensais: janeiro \30\UTC 2015

Irracional

Quando eu achei que tudo estava perdido, teus olhos me indicaram a direção e o teu dedo magro apontava para um destino desconhecido. Eu fui. Naquele labirinto um tanto quanto atraente aos meus olhos, me deparei com portas que tinham por detrás delas paisagens que se desmanchavam, assim como as bolhas de sabão que vezenquando …

Continuar lendo

Notas sobre o amor – Nº 1

Amor é para poucos. Amar não é privilégio, é dom. Amar é querer estar e de fato estar, é ser. É extraordinário o fato de algumas pessoas usarem do amor como uma arma apontada para o peito dos inocentes. Não escolhemos por quem vamos nos apaixonar e é triste quando nos apaixonamos por uma mera …

Continuar lendo

O fim

E não faz mais verão, nem inverno, nem frio. Não me traz dor, nem impaciência e muito menos rancor, no fim das contas não me traz nem me faz nada, até a saudade fez questão de ir embora, ate aquela sensação de “eu podia ter feito diferente” desapareceu, e eu bobo pensando que iria sempre …

Continuar lendo

Nesse sofá

No mesmo sofá em que na ponta dos teus lábios um sorriso se abriu, no mesmo sofá onde observei o canto dos teus olhos e neles tentei tatuar três rugas, no mesmo sofá onde nossos corpos se costuraram, lembrei de ti com saudade. Tu refuta mais uma teoria minha sobre o porquê dessa tragédia, e, …

Continuar lendo

Vicente.

Vicente, hoje vim te contar uma observação peculiar feita naquele café que vou todo final de tarde. Havia um casal, eles estavam sentados um de frente para o outro, ele pediu um café preto e ela um chá verde, ela tinha olheiras e pairava sempre o olhar no ar, ele tinha cachos e vestia uma …

Continuar lendo

O Capitão

A vida nos amarra ao pé da cama e nos deixa entre o medo e a coragem. Você percebe que só tem a si mesmo e inicia-se uma guerra de gigantes. Olhe para a dimensão expandida bem na tua frente, entre o céu e o mar existem centenas de dúvidas instigantes. Azul. Infinito. Talvez esteja …

Continuar lendo

As árvores, o mar e os livros.

Tu corria e não havia ninguém que te fizesse parar. Qualquer um ali presente via o teu sorriso, mas ninguém conseguia enxergar a tua tristeza. Teu cabelo bagunçava com o vento, mas tu não se preocupava com a bagunça. Não era a prioridade. O amor está tatuado nas tuas cinzas e ele eternamente morará em …

Continuar lendo

Sinais

Você tem o corpo coberto por sinais, são 68 ou seriam 80? Eu não sei bem, perdi a conta, porque contar seus sinais é difícil quando sua boca está ali tão perto e acessível. Eu lembro que nosso primeiro abraço foi quente e cheio de suor misturado com ansiedade e os nossos perfumes se misturando …

Continuar lendo