Arquivos Mensais: novembro \29\UTC 2014

Quero dançar só com você

Atrás dos teus olhos fechados e da tua pele gélida, vejo tua poesia e a vejo de longe. Antevejo o meu fim e inquieta balbucio pra ti histórias sobre o mar, o universo, as árvores e o tempo. Minto sobre a minha vontade de ir à lua, eu só queria ir para a tua casa …

Continuar lendo

João

João era feliz, ou pelo menos dizia que era. Tinha cuecas organizadas por cor e tipo de tecido, suas blusas eram todas bem engomadas, colocadas no guarda-roupa, etiquetadas “de sair” e “de ficar em casa”, tinha uma rotina rígida a ser seguida colada na porta da geladeira: às 07h tomar café, às 7h45 ir para …

Continuar lendo

Ele faz cinema

  Eu não tenho muito, mas se tu quiseres dou tudo o que restou-me. Se disseres que aqui vai permanecer, confirmo sem grandes rodeios que qualquer resquício de sentimento bom que me sobrou é todo teu. Eu dou-te o espaço vazio que essa carcaça de pele e osso carrega, pois o coração sujo já não …

Continuar lendo

Não volta, pois nós não temos volta

Você pode pintar o céu de outra cor e encher minha rua de diamantes, mas não vai me impressionar. Comprar aquelas jujubas que eu gosto e extrair delas todo o açúcar não vai me fazer te notar, não mesmo. Encher minha casa de chocolates e flores só vai me trazer enjoo, ânsia de vomito, nojo …

Continuar lendo

Frases de efeito

Passou na TV e eu corri. Deixei o telefone fora do gancho, um cigarro ainda aceso, a televisão ligada. Cruzei avenidas movimentadas enquanto pensava no que dizer, mesmo sabendo que isso sempre passa na TV. Longe de casa, eu seguia naquela rua, chovia, a luz da lua se escondia. Ainda não havia pensado em alguma …

Continuar lendo

Meio morto.

“Você precisar ser alguém”, meu tio fala. “Você precisa sair desse quarto e enfrentar a vida”, dessa vez minha mãe quem falou. “Você precisa tomar um banho e ir procurar um emprego”, meu pai gritou. Fingi que não ouvi nenhum deles, fingi que nem estava ali na roda de conversa, fingi que era um ser …

Continuar lendo

Nuvens de Nicotina

Aquele era o meu jeito de dizer sentir amor, ainda que eu não acreditasse que ele existia. Tu soubeste exatamente o que dizer quando fingi um sorriso, mas viraste as costas e de repente eu não enxerguei mais nada. Olhei pra frente procurando a mim mesma e tudo o que eu via era a escuridão. …

Continuar lendo

Dia Clarear que nem aquela música da Banda do Mar

Doce é viver nos seus olhos, saber que nossas mãos se completam, saber que nossos corações estão ligados por essa linha invisível, essa linha sem nome. Nomear pra que? Você odeia rótulos e eu também. Não namoramos, não ficamos, mas somos um do outro. Somos esse emaranhado de afeto, dor e alegria. Falar de dor …

Continuar lendo