Arquivos Mensais: julho \30\UTC 2015

Máscaras.

Aquela dor de cabeça que te deixa deitado o dia todo, tomando remédios a cada duas horas e tentando não pensar em nada, tentando apenas descansar os neurônios mas com 19 anos isso é uma tarefa meio impossível de ser feita com sucesso. Você fez uma listinha de coisas para fazer e colou no cérebro, …

Continuar lendo

Vida de ampulheta

Maria acordou e tomou uma xícara de café, sozinha. Com muito leite, pouco açúcar… Do jeito que ele costumava tomar. Tentava com todas as forças lembrar de cada detalhe de uma vida anterior a essa manhã, onde tudo fazia sentido, onde ela estava verdadeiramente viva. Hoje, ela apenas preenche espaços. Como a areia de um …

Continuar lendo

Não sei lidar

Eu nunca vou saber lidar com o “ser”. Me assusta a imensidão que é a vala dos sentimentos e me desespera não saber controlá-los. Eu deito sob o céu estrelado e acima de mim há um universo que eu não ouso compreender. Eu me perco todos os dias dentro de mim mesma e nunca me …

Continuar lendo

Abismo

Hoje faz cinco anos que ele se foi. Ela chora aparentemente há décadas, pelo menos é o que suas olheiras dizem. Costuma tocar na ferida por gosto, porque as lembranças são bonitas demais e ela acha que vale a pena sentir a dor. Programa tudo: a hora do dia que mais lembra a ele, as …

Continuar lendo

Ultimo Romance

Aquela última vez. Finalmente todas as pontas soltas tinham sido juntadas. E o fechar da porta já não a assustava mais. Pois sabia que o seu último romance voltaria para casa, afinal, era seu lar. Ela já não tinha medo da noite, porque ele atravessaria a madrugada ao seu lado. Por vezes chorava no travesseiro …

Continuar lendo

Aquele casal

Ele gritava e ela ouvia tudo calada, não tinha muito o que fazer, os dois estavam feridos demais para dizer qualquer coisa, o peso da raiva dominava seus corpos e os jogava no chão. Uma luta que não era física, mas que deixava ferimentos na alma. Estavam juntos há 03 anos, um relacionamento que mais …

Continuar lendo

Paz

Eu tenho poucas certezas e um medo terrível de baratas, eu detesto calor, e todo o suor que ele causa, tenho ânsias de vômitos toda vez que tomo café da manhã, desejos absurdos moram adormecidos na minha mente, sonhos meio impossíveis vivem intensamente querendo, ansiando se tornarem palpáveis, executáveis, e todas essas coisas que um …

Continuar lendo